10.10.12

30

Aos 30 anos posso dizer que já fui várias pessoas, sinto às vezes um peso de quem já viveu várias vidas. É normal lembrar-me de coisas que aconteceram noutra terra, numa altura diferente e sentir que já fui mais adulta do que sou.

Hoje, no dia do meu trigésimo aniversário posso dizer que estou a viver num país onde nunca pensei que viria a viver, na minha 13ª casa. Já comprei mais toalhas e lençóis do que muita gente na vida inteira. Aprendi a desapegar-me de coisas e de casas, adoro ter a minha casa, mas sei que amanhã posso já não estar no mesmo sítio. Aprendi a começar de novo e de novo e de novo.

Domino a língua inglesa e luto por domesticar a língua francesa, mas ela é selvagem e continua a trocar-me as voltas.
Sonho com a ideia de voltar a Portugal, para uma vida mais cheia, com a certeza que isso muito dificilmente vai acontecer.
Continuo sentir-me perdida e bastante desiludida por descobrir que a idade não resolve as dúvidas existenciais, que pelo contrário, as torna maiores.
Apercebi-me que nada substitui a família e os amigos. E que os bons amigos são aqueles com quem conseguimos conversar como se nos tivéssemos visto ontem, mesmo que se tenham passado meses.
Reconheço que há uma linha ténue entre aventura e sacrifício e que a idade vai fazendo pesar a segunda.
Desejos para o futuro? Viajar, conhecer mais coisas, novas comidas, novos costumes e ter sempre um ninho para onde posso voltar ao fim do dia.

Deixo os 20 para trás e começo uma nova fase.

4 comentários:

rita disse...

Belo texto :)
Muitos Parabéns!!

Xico disse...

Onde está o botão de "gosto"?
Beijinhos e até breve

Shapz disse...

E venham mais trinta! Parabéns xx

MissLilly disse...

revejo-me tanto nas tuas palavras!!! acho que o que custa e o passo inicial de sair de Portugal, a partir dai e uma viagem e uma mudanca dentro de nos mesmos. as coisas que valorizamos hoje mudam muito e a importancia de um sorriso e uma palavra amiga vale tudo.
Parabens :)