1.11.10

Do Fundo Do Armário

Muito antigamente (2003, 2004, quem sabe?) eu costumava escrever e por razões parvas acabei por apagar tudo, no entanto houve uns quantos textos que sobreviveram, graças a um amigo meu que se lembrou de os guardar. Recebi isto por email hoje e fiquei espantada comigo mesma, porque na altura eu tinha realmente paciência para escrever. Este é um dos meus preferidos.

Perfeição suprema, que só existe na imaginação

Vamos andar de barco, vamos conhecer o alentejo, vamos visitar o gerês e as praias do sul de espanha. Quero andar de comboio contigo, quero andar de autocarro, quero deitar a minha cabeça no teu colo e olhar para ti enquanto me contas os teus planos, os teus sonhos, as tuas ideias mais ousadas e aventureiras. Vamos perder-nos durante 3 dias numa aldeia escondida e não vamos telefonar a ninguém. Vamos estar só os dois e as máquinas fotográficas e os lápis e os blocos de papel. Vamos criar arte, vamos ser a arte um do outro. Vamos fazer planos para o futuro e pensar no presente, vamos passear pelo campo dourado pelo sol e deitar os telemoveis fora. Vou escrever-te bilhetes e esconder-tos na mochila, nas calças, no casaco. Vou comprar-te um livro e escrever uma dedicatória enquando cozinhas um dos teus pratos para mim. Sempre achei terrivelmente querida a ideia de ter alguém a cozinhar para mim por puro prazer. Vamos procurar poesia e frases bonitas e dedicar um ao outro, vamos passar noites a olhar para o céu à procura de estrelas cadentes, vamos para a praia à noite e tomar banho só com luz da lua. Vou pintar o teu retrato a pastel de óleo, com roxos e azuis e verdes pelo meio. Vais dizer-me que sou bonita, porque sabes que gosto de ouvir, apesar de não acreditar. Vou gravar a tua voz na minha memória enquanto sussurras ao meu ouvido. Vou ouvir vezes sem conta a música que me lembra de ti e esperar que também te lembres de mim quando a ouves. Vamos sair de carro por ai e conhecer sítios escondidos do algarve e sítios que conhecemos tão bem, vamos passear pelas cidades, pelas ruas, pelos bairros e vamo-nos sentar ao pé do rio a conversar. Vamos comer ao indiano, vamos comer ao italiano, vamos comer ao chinês, vamos comer ao nepalês, vamos comer a ferragudo. Vamos passear pela baixa de mão dada, de braço dado, de corações dados. Vamos ouvir concertos diferentes, de bandas que gostamos e de bandas que não conhecemos. Vamos escrever cartas um ao outro e envia-las pelo correio, com selo e tudo para ser mais a sério. Vamos sonhar e ter saudades. Vou ver-te a dormir, vou observar-te e vou gravar tudo. Vamo-nos levantar às 7 da manhã para passear e aproveitar o dia. Vamos comer um gelado de chocolate ou de iogurt. E eu vou acordar.

4 comentários:

xixicocó disse...

por causa do um texto teu, sempre que alguem me diz "enfim", eu digo "enfim, chocolate"

SZ disse...

muito bonito lara! sonia

Cassandra666 disse...

Está absolutamente fantástico. Um grande "desabafo" de amor pela outra metade e pela vida. Exactamente o espírito com que tenho procurado viver. Bem-hajas por partilhares.

Shapz disse...

Gosto muito! bj